Igreja de Paço de Sousa


A Igreja do Salvador de Paço de Sousa como refere o actual Pároco, Senhor Padre Sousa Alves e, outrora, como referem no Boletim dos Monumentos Nacionais ; - A Igreja de Paço de Sousa: - dizemos, um Belo Monumento, que pelas vicissitudes do espaço, do tempo e da acção do Homem, sofreu um conjunto de intervenções e de divisões administrativas alguma das quais estão a provocar graves patologias na edificação nomeadamente, a divisão física das propriedades, um “enclave”, entre a Igreja e os terrenos pertencentes à “Casa do Gaiato”.

Quanto ao diagnóstico das patologias consideramos que este Belo Espaço, não apresenta Graves lesões;- para além de todas aquelas expressas na edificação e narradas em alguns documentos Históricos (por vezes com duas verdades...), que justifiquem uma intervenção cirúrgica delicada ou grandes Estudos em Laboratório.

Antes, carece de uma sentida intervenção de manutenção com Arte e Técnica, como só o Laboratório da Vida expressa com rigor e, exige de todos nós atenção e um olhar atento do:- “Saber Ver”.

AÇÃO

Com base neste pressuposto a Equipa durante os três meses de observação, neste laboratório natural, recolheu e registou um conjunto de sinais, que conjugamos, relacionamos e nos conduziu para resultados, positivos, a edificação de uma forma geral está num bom estado, padecendo de patologias e pequenas roturas proveniente de falta de manutenção;- como é o caso da cobertura ou, no solo de águas em excesso, junto das paredes e pilares cuja causa, se julga, no aterro realizado a Nascente da Igreja e da Sacristia.

Naturalmente que as patologias ou pequenas roturas hoje encontradas, não são graves se reparadas atempadamente, como tudo na Vida; - após a edificação dá-se, simultaneamente, o processo de rotura.

Depois e ainda com base no referido anteriormente, são abordados e apresentados como proposta de integração das novas tecnologias, dado o espaço tempo que no separa da última intervenção, exige uma adequada e sentida reflexão no que concerne; - à electricidade, ao de som, ao aquecimento e à luz, entre outras, num espaço austero.

A nossa acção no Património Edificado ou Natural, apoia-se no pensamento e na obra dos Mestres, nos conceitos da preexistência, sempre conjugados com os justos Interesses da Vida.

Isto é;- À Vida só se adiciona, jamais se subtrai.